in

Carta Aberta do X Encontro do FLIGSP – 2018 – Caraguatatuba

X Encontro Presencial do Fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo – FLIGSP

Nós, coletivos de cultura, artistas, produtores e gestores culturais do litoral, interior e grande São Paulo, reunidos na cidade de Caraguatatuba nos dias 02, 03 e 04 março de 2018, debatemos a atual situação das Políticas Públicas de Cultura no Estado de São Paulo e chegamos à seguinte avaliação.

O ESTADO NÃO ATUA POR TODO O ESTADO!

Depois de 10 anos de estudos e encontros, o FLIGSP identificou a ausência do Estado no Interior, Litoral e Grande São Paulo em diversos aspectos. Percebemos esta ausência na falta de equipamentos públicos de cultura, inclusão inexpressiva dos artistas do Litoral, Interior e Grande São Paulo nos programas administrados pelas OSs e principalmente no abismo orçamentário onde a realidade se apresenta da seguinte forma: mais de 70% da população reside fora da capital e recebe cerca de 30% do orçamento, somando todos os investimentos realizados.

“O que está ai não serve. O que estava não servia. O que está pra vir é assustador. Não temos medo. Estamos em Assembleia. Temos nossa luta e nossos trabalhos em resistência. Temos trabalho de base. Temos formação de quadro. Temos criação de linguagem. Organizamos as nossas comunidades. Organizamos mostras, festivais, encontros. Fazemos cortejos, atos, ações, manifestações e ocupações.” (citação do manifesto Rede Brasileira de Teatro de Rua, junho de 2016, Campo Grande-MS)

Estamos juntas e juntos! Somos mais de 1000 artistas de diversos segmentos culturais, espalhados por mais de 100 cidades do Estado, cada uma com suas especificidades. Diante desta composição já abrimos espaços de diálogo com setor público e sociedade civil, já reivindicamos, já reiteramos, ocupamos espaços e continuamos fazendo nosso trabalho, mesmo sem as condições necessárias, mesmo sob repressão e riscos de cerceamento à Cultura, mesmo com as incessantes tentativas de privatizar as ruas e espaços públicos.

BASTA! Entendemos ser URGENTE uma mudança de perspectiva que garanta o direito constitucional da livre manifestação cultural e artística e que o Estado volte o olhar para todo o Estado. Para isso exigimos:

1 – Criação de uma Lei estadual das Artes de Rua que garanta o direito ao uso da rua, das praças, parques e espaços públicos em geral, pelas mais diversas manifestações culturais, entendendo que o papel dos serviços de segurança pública devem ser destinadas à função de servir e proteger.

2 – Destinação de NO MÍNIMO 1.5% do orçamento do Estado para a Cultura

3 – Destinação de NO MÍNIMO 50% dos investimentos na Cultura para o Litoral, Interior e Grande São Paulo, reparando historicamente e tornando mais justa a distribuição dos programas, recursos, projetos e equipamentos do Estado.

4 – Destinação de NO MÍNIMO 1.5% do orçamento dos Municípios para a Cultura.

5 – Garantia da continuidade das manifestações culturais tradicionais, caiçaras e dos povos originários, na forma de criação de Leis e programas que possam investir recursos e salvaguardar nosso patrimônio imaterial.

6 – A implantação do Sistema Estadual de Cultura.

Reafirmamos as pautas que seguem desde 2013:

7 – A destinação de R$ 100 milhões ao Programa de Ação Cultural do Estado – ProAC Editais.

8 – A reformulação das ações de formação e capacitação nas Artes e na Cultura presentes nos programas administrados pelas OSs. Entendemos que é necessária uma política de formação para todo o Estado, que atue nos eixos de formação do artista, do público e do artista gestor/produtor, sempre em diálogo com as regiões, a fim de compreender suas dinâmicas próprias e necessidades específicas.

Certos de que vivemos em um Estado democrático de direito, no qual é garantida a liberdade de expressão e a Cultura é pilar fundamental na manutenção das comunidades, continuamos resistindo em nossos territórios e não recuaremos até que estes direitos sejam assegurados de forma ampla e justa.

CULTURA PRESENTE!

 

Assinam em conjunto:
Andaime Teatro Unimep/32 anos Fórum Permanente de Cultura da Bacia do Juquery
Associação Amigos de Memorial da Classe Operária – UGT Fórum Permanente de Cultura de Bauru
Associação Arte e Cultura de Caraguatatuba FRENAVATEC – Frente Nacional pela Valorização das TVs do Campo Público
Associação Cultural CONPOEMA – Francisco Morato Frente Favela Brasil – Baixada Santista
Associação das Entidades Administradoras e Usuárias do Canal Comunitário da Cidade de Taubaté – TV CIDADE TAUBATÉ Gato Coletivo Artístico – Hortolândia
Associação Espaço Cultural Fábrica das Artes de Americana – Americana Glaucia Lilian de Moura – Fórum do Litoral Norte
Associação Raso da Catarina – capital Grupo de Teatro Boneco Vivo – São José dos Campos
Barracão Teatro – Campinas Grupo de Teatro Boneco Vivo – São José dos Campos
Beatriz Martins (Artista Plástica- Representante do Movimento do Hip-Hop) – Araçatuba Grupo Engasga Gato
CabarELAS – Ribeirão Preto Grupo Matula Teatro – Campinas
Cais das Artes – Campinas Grupo Rosa dos Ventos – Presidente Prudente
Caravan Maschera – Atibaia Grupo Teatral Nativos Terra Rasgada – Sorocaba
Casa das Lagartixas Teatro Clube – São José dos Campos GTT – Grupo Teatral Ta’lento – Americana
Casa de Joana – Hortolândia Instituto Magneto Cultural – Taubaté
Cia A DitaCuja – Ribeirão Preto Instituto Novos Sonhos- Guaruja
Cia Cultural Bola de Meia – São José dos Campos João Casimiro K. Cohon (músico) – Campinas
Cia Cultural Velhus Novatus Juliana Pablos Calligaris – Campinas
Cia de Teatro Parafernália – Mogi Guaçu Kátia Espinosa (bailarina e musicista)
Cia de Teatro São Genésio – Hortolândia Maracatu Navegante
Cia do Trailler- Teatro em Movimento – São José dos Campos Mariana Dias (atriz e produtora cultural) – Vinhedo
Cia Quase Cinema – Taubaté Mariana Lima – Fotógrafa – Pedra Bela-SP
Cia Teatral Tertúlia – Ribeirão Preto Metamorphose social- Santos
Cia Teatro da Cidade – São José dos Campos Montanha Encantada
Cia Trilhas da Arte – Campinas Movimento Cultura Ativa Mairiporã
Cia. Apocalíptica – São José do Rio Preto Movimento MuDança Ribeirão – Ribeirão Preto
Cia. Fábrica São Paulo – Peruíbe Movimento pela Cooperativa de Arte e Cultura de Ribeirão Preto
Circo Navegador – São Sebastião Movimento Revelia – Guaratinguetá
Clara Trupi de Ovos y Assovios – Mogi das Cruzes Movimento Teatral da Baixada Santista – Santos
Coletivo Dedo de Moça – Hortolândia Nativos Terra Rasgada – Sorocaba
Coletivo Galpão da Lua – Presidente Prudente Nicia Guerriero (Fotógrafa) São Sebastião
Coletivo Teatro de Caixeiros – Ribeirão Preto Ogawa Butoh Center – São Simão
Companhia Mascárate de Teatro – Embu Guaçu ONG Procuru- São Vicente Santos
Contadores de Mentira – Suzano Osmar de Sousa Rabelo (DJ Cuco) – Santos
Corpo de Baile de Caraguatatuba Ponto de Cultura Garapa
Delirivm Teatro de Dança – São Simão Ponto de Cultura Modelando Tradicoes Figureiros de Taubaté
Dyulie de Paula (Artista de Rua) Paraná e Ilhabela SAC – Sociedade Amigos da Cultura de Bauru
Espaço Comunidade Sorriso – Bragança Paulista Sarau Itinerante- Santos
Espaço Cultural Casa das Artes – Ribeirão Preto SATED-SP (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado de São Paulo)
Estúdio Bom Bando – Santos Trupe Olho da Rua – Santos
Fórum de Cultura do Litoral Norte Vila do Teatro – Santos

 

>>>> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR A VERSÃO PARA IMPRESSÃO DA CARTA <<<<

 

Para saber mais sobre o 10o. Encontro Presencial do FLIGSP: fligsp.org/10a-encontro-presencial-do-fligsp-em-caraguatatuba/

Para saber mais sobre o Fórum de Cultura do Litoral Norte (que organizou o encontro desse ano), acesse: www.culturalitoralnorte.com.br

O post Carta Aberta do X Encontro do FLIGSP – 2018 – Caraguatatuba apareceu primeiro em FLIGSP.

Fonte

O post “Carta Aberta do X Encontro do FLIGSP – 2018 – Caraguatatuba” foi publicado em junho 26, 2020 e pode ser visto originalmente diretamente na fonte FLIGSP

O que achou disto?

Abertas inscrições para a 10a. edição do FLIGSP

CARTA DE REPÚDIO à instauração do Conselho Estadual de Política Cultural do estado de São Paulo