in

Redes estadual e municipal de ensino se preparam para ampliar aulas presenciais

Em todo o Estado de São Paulo, desde ontem (16), 3,4 milhões de alunos da rede estadual de ensino iniciaram o período de férias, de acordo com o calendário letivo de 2021. O retorno está previsto para o dia 2 de agosto.

Devido à pandemia de Covid-19, os estudantes têm acompanhado as aulas de forma híbrida, no sistema de revezamento para as atividades presenciais, respeitando o limite de 35% da capacidade de cada escola, assim como acessaram conteúdos remotos oferecidos pelo Centro de Mídias SP.

Em agosto, na retomada das aulas, novas regras farão parte da rotina presencial das instituições de ensino. O cálculo de alunos nas aulas presenciais será feito de acordo com a estrutura física de cada unidade e o distanciamento físico entre as carteiras será de 1 metro, respeitando os protocolos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em Itu, a situação é diferente. Nesta semana, o Periscópio conversou com a dirigente de ensino da cidade, Josimarie Julio, que comentou a respeito do planejamento feito para a retomada das aulas em agosto, em 17 escolas estaduais de Itu.

“Estamos com uma expectativa bem grande para esse retorno. As escolas estão preparadas para isso, na verdade vai ser um retorno bem seguro, as escolas já estão se planejando com atividades de acolhimento, respeitando todos os protocolos sanitários. Estamos bem esperançosos com esse retorno”, destaca a dirigente.

 “Vai ser muito importante essa retomada, pois muitos alunos tiveram dificuldades de acesso à tecnologia, muitos inclusive nem têm celular e esse retorno será fundamental para que a gente possa atender todos os alunos, aqueles que querem retornar porque estão sentindo falta da escola, da interação presencial, mas também aqueles que não possuem tecnologia”, reforça a dirigente.

Josimarie faz questão de destacar que as escolas estão bem abastecidas de insumos, com álcool em gel e com muitos equipamentos tecnológicos, inclusive onde o professor, dentro da unidade escolar, vai conseguir simultaneamente realizar sua aula aos alunos que estão presencialmente e aos alunos que, cujo os pais não querem o retorno nesse momento, estarão à distância.

Questionada a respeito do número de professores que já estão vacinados, Josimarie explica que a Diretoria Regional de Ensino de Itu, que conta com 38.085 alunos matriculados, possui 2.430 profissionais da educação, com um percentual muito grande destes já vacinados com a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

“Inclusive esses profissionais já retornaram no dia 12, todos os servidores que eram do grupo de risco e já tomara a segunda dose já retornaram”. Lembrando que os números são referentes à toda área que a Diretoria Regional de Ensino de Itu abrange (Itu, Salto, Boituva, Cabreúva, Cerquilho, Iperó, Porto Feliz, Jumirim e Tietê, totalizando 52 escolas).

Rede Municipal

O Periscópio conversou também com o secretário municipal de Educação de Itu, Walmir Scaravelli, que explicou que no dia 3 de maio houve o retorno das aulas na rede municipal de Itu de forma híbrida e que para este mês de julho está sendo feita uma ampliação, não utilizando os 35% de ocupação, mas a capacidade de cada unidade de ensino para atender os alunos. A data da retomada das aulas em agosto deverá ser definida com o resultado de um levantamento que vem sendo realizado junto a pais e alunos.

Ao todo, a rede municipal de Itu conta com 1.300 professores e 800 funcionários, “todos já devidamente orientados e vacinados com, pelo menos, a primeira dose da vacina contra a Covid-19, atendendo a uma rede de 18 mil alunos, entre creches, infantil, ensino fundamental e EJA”, explica o secretário.

Questionado sobre o impacto para os estudantes levando em conta o longo período sem aulas presenciais, Walmir comenta. “As crianças vão sofrer impactos diferentes a depender da idade e estrutura de apoio que possuam”, resume.

“Acredito que, enquanto crianças totalmente alfabetizadas e com internet e apoio familiar mais próximos, terão um pequeno impacto, certamente crianças em fase de alfabetização, que não possuem internet e sem apoio adicional em casa, possam ter um impacto maior e podem levar pelo menos dois anos para recuperar o atraso”, comenta.

Universidade

A reportagem questionou também o Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Ceunsp) sobre o seu planejamento já que, na semana passada, o Governo do Estado autorizou a volta presencial dos cursos superiores a partir de agosto. Por meio de sua assessoria, a instituição de ensino informa que “está avaliando as normas para definição dos próximos passos com relação a flexibilização das atividades presenciais, ainda em fase de planejamento”.

A instituição reitera que esse planejamento é pautado em preservar a saúde e bem-estar de toda a sua comunidade acadêmica que envolve alunos, colaboradores e docentes. Também acrescenta que a “ampliação da presencialidade das atividades práticas, com a inclusão de novas áreas e cursos, assim como a possibilidade de retomada das atividades teóricas presenciais, que inicialmente ainda seguem em modelo remoto síncrono, serão avaliadas e planejadas por turma, curso e turno, considerando as diretrizes governamentais de ocupação dos espaços físicos e os protocolos de biossegurança institucionais, sendo informadas oportunamente aos alunos no início do próximo semestre letivo”.

O post Redes estadual e municipal de ensino se preparam para ampliar aulas presenciais apareceu primeiro em .

O que achou disto?

Proposto pra pensar por Carlos Diego

Social – 17/07/21

negócios de impacto ambientais: o buraco é mais embaixo